Josias de Souza

Bastidores do poder

 

Secos & Molhados

Aquecimento global e a necessária defesa das vacas

A propósito da gradativa transformação do planeta em estufa, Luis Fernando Verissimo levou às páginas um artigo necessário.

 

Já no título, Verissimo faz a única pergunta que não se ouviu na cúpula de Copenhague: ‘Quem falou pelas vacas?’ Vai abaixo texto:

 

 

“É difícil tratar com a seriedade que ela merece, uma questão como os efeitos da flatulência na biosfera.

 

E, no entanto, pum de vaca é responsável por boa parte da emissão de gases que ameaçam nosso equilíbrio ecológico e provocam o aquecimento global.

 

Há mesmo quem diga que o pum é a principal contribuição de países como o Brasil, com seus grandes rebanhos bovinos e ovinos, para o problema.

 

Mas falou-se pouco em flatulência em Copenhague. E ninguém falou pelos bovinos e ovinos.

 

Se tivessem um porta-voz atuante na reunião, as vacas poderiam ter dado um subsídio valioso à defesa dos países ricos que resistem a mudanças nos seus hábitos poluidores.

 

A defesa das vacas seria a Natureza. É da sua natureza darem puns. Não podem se conter.

 

Se pudessem controlar a própria flatulência, não seriam vacas, seriam damas da sociedade.

 

Da mesma maneira, é da natureza dos países industrializados sacrificarem tudo à sua volta, inclusive a própria saúde, por índices sempre maiores de crescimento e lucro. Se contrariassem a sua natureza, não seriam o que são.

Vacas e países desenvolvidos teriam o mesmo argumento em Copenhague: não poluímos por falta de caráter, mas porque é assim que fomos feitos.

 

***

 

Tem gente que não acredita no tal aquecimento global provocado pelo homem e a vaca.

 

Há os que dizem que não há provas científicas suficientes ou convincentes disto e há os que simplesmente negam as provas, como fazem os que negam o Holocausto ou a evolução.

 

Mas alguns ecocéticos surpreendem com sua posição. Por exemplo: Alexander Cockburn, que escreve regularmente na revista The Nation e diz que toda essa campanha contra as emanações de combustíveis fósseis que causariam o efeito estufa tem por trás o lóbi da indústria nuclear, pois o que está em jogo é quem dominará a energia do planeta no futuro.

Como todas as teorias conspiratórias, esta depende, para ser aceita, de uma certa suspensão do bom senso.

 

Cockburn tem sólidas credenciais como crítico do capitalismo e seus detritos e em nada se parece com fantasiosos negadores do genocídio nazista ou criacionistas anti-Darwin, mas para acreditar na sua tese é preciso ignorar todas as evidências de mudança climática que, literalmente, caem sobre a nossa cabeça, e atribuir ao lóbi nuclear um poder colossal.

 

De qualquer maneira, a dúvida está no ar. Junto com outros poluentes.

Escrito por Josias de Souza às 21h27

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Blog deseja aos navegantes um Natal sem panetone

Imelda Medina/Reuters
O signatário do blog deseja um bom Natal a todos os que ajudam a compor a paisagem desta janela virtual.
Aos 22 leitores e aos muitos informantes que fornecem os dados que recheiam os escritos, um Papai Noel de saco cheio!
Como prova de apreço, o repórter aconselha: fujam do panetone. Tornou-se coisa do 'demo'.

Escrito por Josias de Souza às 19h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jovem do microvestido quer indenização de R$ 1 mi

Marlene Bergamo/Folha

 

Geisy Arruda, a estudante do microvestido, levou a Uniban às barras dos tribunais.

 

Pede uma indenização pelas agressões que sofreu no campus da universidade.

 

Pediu alto: R$ 1 milhão. Talvez não obtenha tanto. Mas alguma coisa deve levar.

Escrito por Josias de Souza às 20h33

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Josias de Souza Josias de Souza, 46, é colunista da Folha da S.Paulo.

BUSCA NO BLOG


Twitter RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.