Josias de Souza

Bastidores do poder

 

Secos & Molhados

Mantega é destaque da edição de abril da Playboy

Mantega é destaque da edição de abril da Playboy

  Divulgação
Calma, calma. O ministro da Fazenda não vai ferir o decoro do cargo. Tampouco os editores da Playboy perderam o juízo. O representante dos Mantega que tirou a roupa para a revista masculina é Marina (foto), filha de Guido com Lavínia Cardim, de quem o ministro separou-se há duas décadas. Ela dividirá as atenções com a ex-BBB Fani, capa de Playboy.

Marina, 26 anos, é atriz. Atua também no mercado financeiro. Em breve, irromperá na tela grande como integrante do elenco do filme “Anita Garibaldi – Guerreira da Liberdade.” Antes, exibiu-se às lentes de Playboy num cenário inusitado: uma oficina mecânica. Ostentou um nu apenas parcial. Para sossego de papai, recobriu o essencial com peças de lingerie.

Marina foi à seção “Mulheres que Amamos.”  Divide a cena com a réplica de um Mercedes vermelho, modelo SL, ano 52, em contraste com o "sutiã 46" da filha do ministro. Nos próximos dias, além das perorações acerca da necessidade de renovar a CPMF e a DRU, Guido Mantega terá novos assuntos para animar os colóquios que mantém com os colegas de trabalho.

Escrito por Josias de Souza às 18h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Roberto Magalhães volta a expor sua arte no Rio

Roberto Magalhães volta a expor sua arte no Rio

Sonho/Roberto Magalhães
 

 

Depois de um jejum iniciado em 2001, o artista plástico Roberto Magalhães, 66, volta a exibir-se numa exposição no Rio. Pendurou 50 óleos sobre tela e desenhos nas paredes de duas galerias vizinhas ao Shopping Cassino Atlântico, em Copacabana. Se você mora ou visita o Rio, vale a visita. São peças inéditas. E a contemplação é gratuita. Se não tem a felicidade do contato direto, aproveite a pasmaceira deste final de domingo para dar uma passadinha pelo sítio no mínimo. Há ali uma pequena amostra do que você está perdendo. Bom proveito.

Escrito por Josias de Souza às 17h29

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Se tudo acaba em samba, melhor que seja de Jobim

Se tudo acaba em samba, melhor que seja de Jobim

Ser brasileiro é contabilizar todos os ovos quebrados e lamentar a ausência da omelete, é comparar o príncipe e o torneiro mecânico e constatar que falta-nos ora um bom eletricista ora um controlador de vôo, é olhar pra frente e enxergar ou um futuro pré-Thomas Edson ou um destino pré-Santos Dumont, é dar de cara com o absurdo e achá-lo muito parecido com o natural, é procurar culpados e só encontrar inocentes e cúmplices, é recordar a última do português e se dar conta de que nenhuma piada superou aquela contada por Pedro Álvares Cabral, em 1500, é procurar a esquerda e verificar que ela virou à direita, é ter saudades dos ideais revolucionários e lamentar que o único extremismo que restou foi o radicalismo da incompetência, é descobrir que a classe média está à procura de uma nova utopia e lamentar que ela se limite à pontualidade da ponte-aérea, é imitar o IBGE, refazer as contas e concluir que as chances de o governo ser mandado à raiz cúbica de pi dividida pela soma do quadrado dos catetos aumentaram 100%, é entrar em desespero e lembrar que, entre nós, tudo acaba em samba. Se é assim, em nome do bom gosto, que seja o Samba do Avião, de Tom Jobim (lá no alto).

Escrito por Josias de Souza às 18h28

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Josias de Souza Josias de Souza, 46, é colunista da Folha da S.Paulo.

BUSCA NO BLOG


Twitter RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.