Josias de Souza

Bastidores do poder

 

Secos & Molhados

No Carnaval, a mulher vira inimiga do feminismo

No Carnaval, a mulher vira inimiga do feminismo

 

O signatário do blog é um entusiasta da causa feminista. Repetindo: um arrebatado entusiasta. E é como simpatizante que o repórter dirige meia dúzia de frases às mulheres. Para começar, um conselho: esqueçam o homem. O macho já não é o grande inimigo. O maior adversário da causa feminina é a mulher.

Sim, isso mesmo. A mulher arrisca-se a virar um Silvério, um Judas do feminismo. Está-se falando de um tipo específico de traidora: a fêmea-foliã.  Pode-se enxergar o Carnaval de diversos ângulos. Do ponto de vista sociológico, é uma manifestação genuína de nossa cultura popular. Submetido à ótica da Igreja, não passa de uma festa pagã.

 

Finalmente, filtrado pela lente da câmera de TV, o Carnaval transforma-se na bastilha do feminismo. A cada nova temporada carnavalesca, a luta libertária da mulher é como que esquartejada em meia dúzia de cenas. O cinegrafista a serve em pedaços. Esfrega na cara do telespectador ora o seio, ora a nádega. Ora o umbigo, ora o púbis.

 

Como se fosse pouco, a TV, por vezes, dá forma auditiva à degradação feminina. Despeja diante do telespectador pequenas entrevistas em que certas fêmeas expõem a pior forma de nudez: a nudez cerebral.

 

A mulher passa o ano tentando provar sua superioridade. E, nos escassos quatro dias de Carnaval, torna-se o mais suicida dos seres. As imagens acima dão uma idéia do desafio imposto pelas foliãs às feministas.

 

O repórter, embora simpatizante da causa, não é cego. Por isso, exime-se de condenar os machos que queiram testemunhar a autodegradação da fêmea. Elas, as feministas, que voltem a queimar sutiãs em praça pública. O retorno ao passado talvez seja, a essa altura, o único modo de salvar o movimento tradicional, hoje reduzido a um movimento de quadris.

Escrito por Josias de Souza às 01h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lula leva o marasmo para dar um mergulho no mar

Lula leva o marasmo para dar um mergulho no mar

Rogério Paiva/Folha Imagem
 

 

Nesses dias de Carnaval, Lula está mais para marcha-rancho do que para maracatu. Seu governo caminha em cadência marcial: PAC, PAC, PAC, PAC... Os novos ministros já deveriam estar marcando o cartão de ponto na Esplanada há tempos. Lá se vão 49 dias marasmáticos. Nunca na história desse país registrara-se semelhante marca. É um recorde.

 

Bom marchand de si mesmo, Lula vende hesitação como cautela. Marta, eis a personagem da vez. Recebe um tratamento de margarida enjeitada. É Marta pra cá –malmequer nas Cidades--, é Marta pra lá –malmequer na Educação. E nada do aguardado bem-me-quer.

 

Sentindo-se marginalizados, os governistas seguem martelando suas reivindicações. Não vêem a hora de dar cabo do martírio. Estão ávidos para saltar das bolsas marsupiais em que se encontram, para agarrar-se às velhas tetas.

 

À margem de toda a algaravia, Lula (na foto, ao centro) se autoconcedeu neste domingo um refrescante banho de mar. Desfruta das maravilhas do Forte dos Andradas, com Marisa. Mas é como se estivesse em Marte. Deixa o homem marear!

Escrito por Josias de Souza às 18h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sobre o Carnaval, o belo, a indiscrição e a voz

Sobre o Carnaval, o belo, a indiscrição e a voz

Inácio Teixeira/Coperphoto
 

 

A voz de Ivete Sangalo é bela, eis uma verdade que ninguém ousa contestar. Pois neste Carnaval, a cantora baiana decidiu submeter as outras belezas de que dispõe ao julgamento dos olhares alheios de Salvador (BA).

 

Na foto, o belo aparece acomodado no interior –e no exterior— de um corselete em tons de cinza e de preto. Uma olhadela de relance bastaria para perceber que a moça, já bem-servida de conteúdo, não deixa a desejar na forma.

 

Mas repare no canto direito inferior da imagem que, não satisfeito, um sujeito resolveu conferir, de baixo para cima, o que, por indubitável, dispensava a aferição. Antes que os leitores deste recanto virtual comecem a invejar a indiscrição desnecessária, o repórter sugere que contemplem o belo em sua versão sonora (aqui).

Escrito por Josias de Souza às 01h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Para não dizerem que o blog não falou de flores

Para não dizerem que o blog não falou de flores

 

Sim, isso mesmo. Para que não digam que o signatário do blog não falou de flores, vão acima as fotos de duas petúnias. São de um tipo chamado tecnicamente de “petunia violacea”, caracterizado pela beleza das grandes flores e pela corola de formato infundibuliforme. A despeito do pequeno porte, costumam florescer abundantemente.

 

Foram à avenida como destaques da Imperador do Ipiranga, uma escola que faz sua estréia no Grupo Especial e que abriu os desfiles do Carnaval de São Paulo no finalzinho da noite desta sexta-feira (16). A apresentação entrou pela madrugada de sábado. O enredo combina, por assim dizer, com o PAC: “Siderurgia forte constrói mundo de aço".

 

Se visse o carro abre alas da escola, Lula diria algo assim: “Nunca na história desse país houve um veículo carnavalesco como esse.” O carro representa o Egito. Carrega, segundo as palavras do carnavalesco Anselmo Brito  “a maior escultura do Carnaval do Brasil, com 40 metros."

 

O repórter deseja um bom Carnaval a todos os seus 22 leitores.

Escrito por Josias de Souza às 01h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na Câmara, o ronco é uma moléstia pluripartidária

Na Câmara, o ronco é uma moléstia pluripartidária

Lula Marques/Folha Imagem
 

 

No terceiro ato de Cimbelino, Shakespeare acomodou nos lábios do personagem Belisário um raciocínio de valor inestimável: “Ronca o cansaço em cima de uma pedra, enquanto a indolência acha duro o melhor travesseiro.”

 

Duros são também os assentos do plenário da Câmara. Rijos como chumaços de algodão. Escassas 24 horas depois de ter flagrado a soneca dos deputados Moisés Avelino (PMDB-TO), Devanir Ribeiro (PT-SP) e Cida Diogo (PT-RJ) as lentes do repórter Lula Marques presenciaram mais uma cena explícita de ronco remunerado.

 

Dessa vez, era Mussa Demes (PFL-PI) quem ressonava em meio ao expediente congressual desta quinta-feira (8). Vai ficando demonstrado que a indolência é uma moléstia, digamos, pluripartidária.

 

O deputado, não resta dúvida, é um trabalhador fora do comum. O brasileiro convencional, esse que acorda cedo e sacode pendurado ao balaústre do ônibus, cansa ao final do expediente. O congressista permite-se ficar fatigado antes do meio da tarde.

 

Levando-se em conta que a nova Câmara arrosta o seu terceiro dia de labuta, pode-se imaginar qual será o estado de ânimo de certos deputados ao final da legislatura. Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz!!!

Escrito por Josias de Souza às 00h07

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Que fantasias habitarão o sonho dos deputados?

Que fantasias habitarão o sonho dos deputados?

Fotos: Lula Marques/Folha Imagem

Políticos em campanha são vendedores de sonhos. Eleitos, muitos se tornam pesadelos. Não podendo transformar a realidade, fogem dela. Alguns, como os três deputados acima, exageram. Foram pilhados pelo repórter Lula Marques, na tarde desta quarta-feira (7), justamente no instante em que buscavam no sono o alívio das misérias que assolam a hora do expediente.

O desempregado sonha com o emprego. O esfaimado com a geladeira cheia. O desabrigado com o teto. O assaltado com o socorro policial. O doente com o atendimento médico. O eleitor sonha com o dia em que será representado satisfatoriamente em Brasília. E quanto aos deputados Moisés Avelino (PMDB-TO, foto 1), Devanir Ribeiro (PT-SP, foto 2) e Cida Diogo (PT-RJ, foto 3), que fantasias habitarão os seus sonhos?

Escrito por Josias de Souza às 22h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Josias de Souza Josias de Souza, 46, é colunista da Folha da S.Paulo.

BUSCA NO BLOG


Twitter RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.