Josias de Souza

Bastidores do poder

 

Secos & Molhados

O nome dela é Tonhão

O nome dela é Tonhão

Depois de uma ausência de quase 30 anos, Batwoman voltará a freqüentar os telhados de Gotham City no mês de julho. A colega de Batman reencarnará na pele de uma dama da alta sociedade. Seu nome será Kathy Kane. Mas pode chamá-la de Tonhão. 

Kathy Kane será “uma lésbica socialite à noite e uma combatente do crime tarde da noite”. Ela volta ao universo dos quadrinhos em julho, numa revista chamada 52. É editada pela norte-americana DC (Detective Comics), a segunda maior editora de gibis de super-heróis do mundo.  

Quando de sua primeira aparição, em 1956, o nome que se escondia por trás da máscara de Batwoman também era Kathy Kane. Mas ela morreu em 1979, assassinada por um bandido, sem ter saído do armário. De volta, dividirá o tempo entre a luta contra o crime e os flertes com uma ex-policial chamada Renee Montoya.

 

O maior beneficiado com a novidade será Batman. Doravante, o "homem-morcego" não terá mais de explicar por que, tendo tanta formosura do seu lado, sempre insistiu em manter-se grudado em Robin, o "garoto" prodígio.

Escrito por Josias de Souza às 22h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Masp em petição de miséria

Masp em petição de miséria

Atribui-se a Pablo Picasso (1881-1973) o seguinte ensinamento: “A arte é uma mentira que revela a verdade”. Pois o Masp (Museu de Arte de São Paulo), casa que mantém em seu acervo algumas das mais belas “mentiras” em exibição no país, está às voltas com uma verdade reveladora: a falta de pecúnia.

 

Deu-se na última quarta-feira um episódio constrangedor. Apagou-se a luz do Masp. Abespinhada com uma pendura que já alçava à casa dos R$ 3,39 milhões, a Eletropaulo cortou o fornecimento de energia do museu. A penumbra durou três dias. Só na sexta-feira restabeleceu-se a luz.

 

A direção do museu diz ter celebrado um acordo com a companhia de força. Prometeu liquidar o débito em 48 parcelas, o que dá algo como 70 mil mensais. Mas não esclareceu de onde virá o dinheiro.

 

Diz-se que a prefeitura pingará nos cofres do Masp R$ 1,12 milhão. Mas a liberação, informa a assessoria do alcaide Gilberto Kassab (PFL), está condicionada à apresentação de um projeto que esclareça como a verba será usada. E não há, por ora, vestígio de tal projeto.

 

Assim, a normalidade foi restabelecida no Masp apenas até certo ponto. O ponto de interrogação. O signatário do blog sugere a seus 22 leitores que aproveitem o domingo para fazer uma visita virtual ao museu. Clique na imagem acima –'O Torso de Gesso', de Henri Matisse—, para ir até o sítio do Masp. Mas não deixe pra depois. Pode ser tarde demais.

Escrito por Josias de Souza às 03h10

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

'Salvem os brasileiros'

'Salvem os brasileiros'

Alessia Pierdomenico/Reuters
 

 

Os peladões acima são militantes do grupo PETA, uma sigla que, em inglês, significa “Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais”. Neste domingo, em Londres, eles tiraram a roupa por uma causa nobre. Protestaram contra os chapéus usados pelos guardas do Palácio de Buckingham, que são feitos, veja você, de pele de urso.

 

Por sorte, não temos no Brasil os luxos e as afetações da realeza britânica. É pena nao termos também os ursos. Se eles habitassem as nossas matas decerto diriam: “Salvem primeiro os brasileiros”. Outra coisa que nos distingue do Reino Unido: aqui não há manifestantes pelados. Só os reis estão nus.

 

PS.: Clique na foto para ver uma galeria de imagens do domingo pelo mundo.

Escrito por Josias de Souza às 12h39

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A locomotiva parou!

A locomotiva parou!

Pânico provocado pelos ataques do PCC deixa Avenida Paulista deserta, às 20h 

 

À sua maneira, São Paulo sempre foi uma cidade feliz. Tinha consciência de que sua felicidade era um sentimento escorado no vocábulo “não”. Mas era feliz.

 

São Paulo sorria quando não dava de cara com o trânsito congestionado da Avenida Paulista, quando não morria afogada numa enchente do Anhangabaú, quando não lhe encostavam um revólver na nuca, quando não...

 

São Paulo não era uma cidade. Transformara-se em entidade. Soturna, não vestia mais cor-de-rosa. Elegera o cinza como cor preferida. Rendida às contingências, não amava o belo, mas feio e o caótico, que sempre corresponderam à afeição.

 

Contraditória, morava na fartura, mas não se horrorizava diante da janela com vista para a miséria. Conformada, passeava de Mercedes, vidro fechado, metida em roupas chiques, mas não se constrangia com a mão estendida do menino miserável no sinal de trânsito, símbolo do fracasso do capitalismo à brasileira.

 

Orgulhosa da condição de locomotiva nacional, São Paulo não dormia. Súbito, decidiu recolher-se no meio da noite. Parece ter caído em si. Deu-se conta de que, de tanto praticar roleta-russa, estourou os próprios miolos.

 

São Paulo já não reage. Rendida à sua própria imprudência, foi dormir mais cedo nesta segunda-feira. O trânsito da Paulista não estava bloqueado, como de hábito. Mas não havia quem se atrevesse à travessia. São Paulo não resistiu ao crime que o seu caos organizou.

Escrito por Josias de Souza às 01h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Apocalipse já!

Apocalipse já!

Fotos: Sérgio Lima, Lula Marques e Alan Marques
 

 

A linha sucessória no Brasil tornou-se uma trilha de armadilhas. Na hipótese de impedimento o inacreditável (Lula), assumiria o impensável (Zé Alencar). Impedido este, viria o indesejável (Aldo Rebelo). E, depois dele, o absurdo (Renan Calheiros).

 

Em viagem a Viena, o inacreditável arrastou para fora do país o impensável e o indesejável, que fogem da cadeira presidencial para não perder o direito de concorrer às próximas eleições. Premiado pelas circunstâncias, foi à interinidade do Planalto o absurdo, que tem mandato de senador até 2010 e não precisa ir às urnas de 2006.

 

Nesta sexta-feira, Renan recebeu em Palácio Itamar Franco. O ex-lamentável foi informar ao absurdo que não abre mão de tentar neste ano, pelo PMDB, um retorno à cadeira de presidente. O diálogo foi testemunhado pelo Cristo, que pende da parede da sala do presidente.

 

Reza a teoria cristã que o Jesus Cristo voltará à Terra. Virá no dia do Juízo Final. Por ora, Ele não se animou a dar as caras de novo. É explicável. Submetido ao incrível vaivém do gabinete presidencial, o filho do Todo-Poderoso deve ter caído em si. Deu-se conta de que o homem não precisa de sua ajuda para organizar o Apocalipse.

Escrito por Josias de Souza às 15h58

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Desgoverno atinge espelho d'água do Planalto

Desgoverno atinge espelho d'água do Planalto

Lula Marques/Folha Imagem
 

 

No “Sermão de Santo Antônio”, o padre Antônio Vieira (1608-1697) pontificou: “Falando dos peixes, Aristóteles diz que só eles, entre todos os animais, se não domam nem domesticam... Os autores comumente condenam esta condição dos peixes, e a deitam à pouca docilidade, ou demasiada bruteza; mas eu sou de mui diferente opinião. Não condeno, antes louvo muito aos peixes este seu retiro, e me parece que se não fora natureza, era grande prudência. Peixes! Quanto mais longe dos homens, tanto melhor; trato e familiaridade com eles, Deus vos livre.”

 

A foto acima, captada pelo repórter Lula Marques, mostra que o bom padre estava mesmo com a razão. O Palácio do Planalto não está conseguindo governar convenientemente, veja você, nem o espelho d’água que o circunda. Pobres dos peixes que Deus não conseguiu manter longe dos homens que cuidam da manutenção do principal prédios público de Brasília.

Escrito por Josias de Souza às 17h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Como anda a saúde desse par de olhos?

Como anda a saúde desse par de olhos?

Desde a última quinta-feira, uma polêmica envolve os olhos mais charmosos do mundo. Elizabeth Taylor estaria à beira da morte, informou o sítio ContactMusic. Atribuiu-se a notícia a uma pessoa próxima à atriz. “Liz está cada dia mais próxima da morte, e sabe disso”, teria dito.

 

Nas últimas horas, porta-vozes de Liz puseram-se a desmentir a “notícia”. Ela estaria atarefadíssima, às voltas com seus negócios –uma linha de perfumes e jóias— e com campanhas beneficentes em favor das vítimas da Aids.

 

Kathy Ireland, sócia de Liz, disse que a notícia veiculada pela internet “é cruel, insensível e está prejudicando o enorme trabalho que ela realiza todos os dias pelas pessoas que sofrem com a Aids, além do êxito em todos os seus negócios”.

 

Por mais que seja negado, esse é um tipo de rumor que não será interrompido senão por um desmentido feito de viva voz pela própria diva Elizabeth Taylor.

Escrito por Josias de Souza às 16h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Josias de Souza Josias de Souza, 46, é colunista da Folha da S.Paulo.

BUSCA NO BLOG


Twitter RSS

ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.